25 de junho de 2018 | Documentação

Taxa de condomínio: para onde vai o dinheiro?

Goste ou não, quem mora em apartamento ou em condomínio de casas tem que pagar pela taxa de condomínio.

O valor pago mensalmente serve para a manutenção do residencial e de suas áreas comuns, incluindo também os salários dos profissionais e os demais serviços que necessitem de mão de obra especializada.

O que nem todo mundo sabe é pelo o que exatamente está pagando, ou seja, o que está incluído no valor do condomínio.

A fatura costuma ser detalhada, mas acaba passando despercebida pelo condômino no dia a dia.

Reunimos tudo que você precisa saber sobre este custo fixo e de grande importância no seu orçamento.

Quem paga pela taxa de condomínio

Todos os proprietários do residencial pagam por ele. O valor de todos os custos gerados pelo condomínio é dividido pelo número de unidades (casas ou apartamentos), gerando assim, o valor mensal da taxa.

As unidades ainda não comercializadas, ou seja, sem donos, são de responsabilidade do construtor, que é quem assume este compromisso.

Já as unidades que não têm moradores, como as de investidores que ficam responsáveis por seus custos: luz, gás, condomínio, dentre outras contas.

O que está incluído neste valor:

  • Água e gás, quando não são individualizados;

  • Equipe de limpeza e segurança;

  • Zelador – caso exista;

  • Fundo de obras – se tiver;

  • Fundo de reserva.

Quais as vantagens de pagar pela taxa de condomínio

Quanto custa a manutenção de uma casa com quintal, piscina, churrasqueira?

Qual valor de comprar frequentemente produtos de limpeza e de contratar mão de obra qualificada? Quanto vale a segurança e o conforto de receber visitas e até as correspondências?

A taxa de condomínio não é meramente um custo fixo no seu orçamento. Ele corresponde a toda segurança, conforto e praticidade que morar em um prédio ou condomínio fechado oferece.

Os custos de todos esses benefícios são rateados pelo número de apartamentos ou de casas, gerando um valor médio que, fatalmente, muito mais em conta do que o da manutenção de uma casa com metade desses serviços.

Quando o condomínio é caro demais

Alguns fatores podem onerar o valor do condomínio. Em geral, um residencial com menos apartamentos por andar é bem mais caro do que um com 4 apartamentos por andar. Quanto maior o número de moradores, mais leve fica o rateio. Mas não se engane: o grande vilão do condomínio é a inadimplência.

Quando o número de proprietários que não paga a taxa de condomínio é relevante, esse déficit tende a ser repassado aos demais moradores e isso acaba encarecendo as mensais.

Obras de reforma e benfeitorias também conhecidas como taxa extra, aumentam o valor mensal do condomínio, porém são pontuais, por um período determinado.

E este aumento é predefinido em assembleia, durante a reunião de condomínio.

E por falar em assembleia…

As reuniões de condomínios não é somente o cenário de calorosas discussões entre os moradores. Brincadeiras à parte, trata-se de oportunidades para discutir a melhor maneira de prover a manutenção do residencial, sobretudo, no que diz respeito a custos.

Fique atento às datas e participe sempre. Esteja ciente do que está acontecendo e sendo feito no seu condomínio. Algo que é muito importante para a valorização de seu patrimônio.

Quanto mais antigo o prédio, maior o valor do condomínio

Os empreendimentos novos têm a vantagem de não precisarem de consertos, reparos e obras.

Por um bom tempo, o valor da taxa de condomínio se resume a manutenção das áreas comuns e sua mão de obra.

Apartamentos antigos, naturalmente, podem ter maior necessidade de reparos e um acúmulo de dívidas com inadimplência que pode encarecer o valor das mensais. Atente-se a isso na hora de comprar um imóvel.

Não questione apenas o valor do condomínio. Entenda a que ele se refere. O que engloba e o que oferece em contrapartida para tirar as suas conclusões.

Quanto você paga de condomínio? Faz jus ao que o prédio oferece? Conta para a gente aqui nos comentários.

Ler mais navigate_next

22 de junho de 2018 | Estilo de Vida

Este é um momento oportuno para fazer investimento em imóveis?

Passado o longo período de crise econômica, recessos e pessimismo, quando o assunto é comprar, sobretudo, bens de alto valor agregado, o país, enfim, demonstra solidez na recuperação do seu cenário econômico, refletindo diretamente no investimento em imóveis.

Isso porque o mercado imobiliário, por uma série de fatores, é um dos termômetros da economia brasileira. E, de acordo com os especialistas, ele está em alta!

Esta é a hora de fazer investimento em imóveis

Quem entende do assunto garante que este é um dos melhores momentos para comprar um imóvel.

A afirmação não é mero otimismo típico de brasileiro. Ela é embasada em dados da economia e do mercado.

De acordo com os economistas e estudiosos do mercado de compra e venda de imóveis, a taxa Selic promissora e os juros mais baixos fazem do atual cenário o ideal para quem quer investir em imóveis ainda em 2018.

Depois da tempestade, vem o investimento em imóveis

Diz o ditado que depois da tempestade vem a bonança. Por aqui, passado o período de crise e recessos, é tempo de realizar sonhos e investir na compra de casa própria ou de fazer bons negócios.

As previsões para a Selic em 2018 seguem em 6,50% ao ano e os economistas do mercado financeiro esperam pela manutenção dela até junho do ano que vem, quando especula-se que o Banco Central dará início a um novo ciclo de alta de juros.

Além da queda da Selic, os juros mais baixos dão o tom do cenário econômico do país.

Incentivam e encorajam o consumidor a comprar, impulsionando o mercado econômico como um todo.

No caso do mercado imobiliário, uma compra que, na grande maioria, é parcelada, com pagamento a longo prazo, a insegurança compromete drasticamente o volume de negócios.

Quem, em sã consciência, com receio de perder o emprego, por exemplo, compraria um imóvel para pagar em 30 anos?

O desemprego atingiu índices assustadores, levando com ele a segurança do consumidor.

Com a mudança deste cenário, o consumidor retoma a confiança na economia, e volta a comprar e colocar seus antigos planos da casa própria em prática.

Aproveite as oportunidades

A queda da taxa Selic também trouxe consigo a baixa nas taxas de juros praticadas pelos bancos em empréstimos a pessoa física e empresas.

O importante é estar atento às oportunidades para fazer um bom negócio.

O período de recessão foi grande e os reflexos ainda podem ser vistos no mercado imobiliário.

Os imóveis em estoque são exemplos disso.

Tem imobiliária, construtora e até mesmo proprietários com seus imóveis há algum tempo na vitrine, um bom motivo para eles receberem propostas interessantes para ambas as partes, não é mesmo?

Se você estava esperando o momento ideal para retomar a busca pelo novo endereço ou para fazer um bom investimento, esta é a hora. Se você ficou com alguma dúvida a respeito, deixe nos comentários.

Ler mais navigate_next

20 de junho de 2018 | Dicas De Compra

Condomínio-clube: como aproveitar o coworking para empreender.

Muito mais que reuniões pontuais, os espaços de trabalhos coletivos podem e devem ser melhor explorados pelos moradores dos condomínios-clube. Essa é uma iniciativa que ajuda inclusive no orçamento.

coworking está cada vez mais incluído no pacote de atrativos oferecidos pelos condomínios-clube, sobretudo, daqueles de apartamentos compactos, com plantas funcionais e práticas.

As salas de trabalho coletivas podem ser um endereço comercial fixo e trazer mais formalidade e corporativismo aos negócios, principalmente, para quem faz home office ou está se organizando para empreender.

Morar em um residencial que dispõe de um coworking é mais econômico

Trabalhar de casa tem seus prós e contras, não é mesmo? Fazer home office com a mesma produtividade de quando se está no escritório é o grande desafio deste formato de trabalho.

Neste sentido, o coworking pode ser a solução. A poucos passos de casa, o seu espaço de trabalho compartilhado, com clima e ambiente corporativo exigidos para desenvolver melhor suas competências com mais foco e menos ruído do que em casa. Por que não?

A sala de trabalho coletiva dispõe de toda a infraestrutura necessária para trabalhar como em um escritório tradicional, só que no “seu quintal”. Melhor impossível, não é mesmo?

Trabalhar bem pertinho de casa, com a mesma qualidade e a custos menores. Este é também um dos grandes atrativos dos apartamentos em condomínio-clube.

coworking do condomínio pode ser o pontapé que faltava para seu novo negócio.

Quem pensa em empreender e abrir o seu próprio negócio, inevitavelmente, esbarra na incerteza de abrir ou não uma sala comercial de imediato.

Os espaços de trabalho coletivo são alternativas eficientes para isso, principalmente, com os custos.

Estruturar uma sala comercial requer um investimento além do aluguel do espaço físico:

  • Mesas e cadeiras;

  • Computadores;

  • Telefone;

  • Internet;

  • Espaço para um café e pequenas refeições;

  • Recepção;

  • Entre outros.

No coworking do condomínio, é possível encontrar toda essa estrutura com os custos já embutidos no valor do condomínio. Uma economia e tanto, não é mesmo?

As salas de trabalho coletivo são excelentes oportunidades de empreender

Com a estrutura física oferecida por esses modernos espaços, uma série de negócios podem ser criados e trabalhados com tranquilidade.

Os negócios virtuais se destacam. Os e-commerces, lojas on-line, não precisam de muito mais que um computador e Internet para serem bem-sucedidos.

Os números do segmento no Brasil também se destacam. Em 2018, o crescimento foi de 15%. As perspectivas para o ano que vem são de mais de 220 milhões de pedidos nas lojas virtuais, com um tíquete médio de R$ 310.

Seus vizinhos, seus potenciais clientes

Dividir o espaço de trabalho com outros profissionais tem outras vantagens como o networking.

Durante o seu expediente, você tem a oportunidade de conhecer um pouco mais seus vizinhos e também de compartilhar conhecimento, trocar contatos e fazer o seu marketing boca a boca.

Dependendo do segmento, esta é uma importante oportunidade de propagar sua marca.

Imagine que você tem uma empresa de eventos, um segmento que não para de crescer no Brasil. Seus vizinhos são potenciais clientes que devem conhecer o seu trabalho e de que maneira você e a sua empresa podem ajudá-los.

Também é uma tendência que novos negócios sejam criados no segmento de roupas e terceirização de serviços domésticos, aqueles de pequenos reparos.

Está pensando em investir em um apartamento em condomínio-clube com coworking? Este é um investimento que pode ser rentabilizado e trazer o máximo em qualidade de vida para você e sua família. Ficou com alguma dúvida? Deixe nos comentários.

Ler mais navigate_next

18 de junho de 2018 | Estilo de Vida

Saiba como economizar dinheiro morando em um condomínio-clube.

Substituir os gastos é o segredo de como economizar dinheiro morando em um condomínio-clube.

Quanto você gasta com as mensalidades da academia? E na natação das crianças? E qual a despesa ao alugar um espaço para receber os convidados do seu aniversário ou o dos seus filhos? Vai somando. A sala comercial e a Internet para trabalhar alguns dias da semana pesa no seu orçamento? Sem falar dos gastos com combustível, de tempo e de energia, não é?

Todos esses custos podem ser poupados por quem mora em um condomínio que oferece áreas de lazer, entretenimento e até mesmo salas de trabalho coletivas, os coworkings.

Um condomínio-clube mesmo tão completo, por ser dividido entre muitos condôminos, costuma ter taxas similares a dos prédios antigos, com a diferença de não ter as manutenções constantes que viram taxa extra e oneram o planejamento financeiro dos proprietários.

Veja como economizar dinheiro de forma simples e sem sair de casa

Na academia – Troque a academia do bairro pela academia do prédio. Antes de ir ou ao chegar do trabalho, no intervalo do almoço, são horários interessantes para criar uma rotina de ir à academia do seu condomínio.

Se precisar de incentivo, de companhia, tente conciliar com os horários de outros condôminos. De quebra você ainda faz amigos!

A piscina – A piscina do prédio pode e deve ser mais frequentada por você e sua família. Aproveite para socializar e conhecer a vizinhança. Para que gastar com idas à praia ou ao clube se você tem essa área de lazer a poucos passos?

No salão de festas e espaço gourmet – O salão de festas e o espaço gourmet dos condomínios estão entre as áreas mais atraentes na hora de comprar um imóvel. Eles são perfeitos para pequenos eventos, reuniões entre amigos, aniversários com mais convidados. E, mesmo que haja uma taxa extra para a utilização desses espaços, ainda sai mais em conta que alugar um salão de eventos e mobiliário externamente.

Coworking – Os espaços de trabalho coletivo se popularizaram e muito executivo tem investido neles para trabalhar, principalmente, quando a necessidade de os utilizar é esporádica.

 Por que não utilizar o coworking do seu prédio para reuniões pontuais ou em dias de home office? Você economiza horas no trânsito, gasolina, estacionamento em pedágios, sem perder o ambiente corporativo, muitas vezes, imprescindível para o negócio.

Brinquedoteca e playground – Mais do que econômico, utilizar as áreas kids de lazer do condomínio é mais seguro. Dentro do residencial, as crianças estão mais seguras, graças ao sistema de segurança e monitoramento que os condomínios têm.

Ir na rua, nos parques, no shopping e nas pracinhas demandam gastos com combustível e disposição para sair de casa. Se a ideia é economizar, experimente usar mais os espaços de lazer e entretenimento do condomínio e deixar os passeios externos para momentos raros.

Gostou das dicas de economia que morar em condomínio-clube pode proporcionar? Tem mais dicas como estas? Compartilhe com a gente. Escreva nos comentários.

Ler mais navigate_next

15 de junho de 2018 | Dicas De Compra

Por que morar em apartamento compacto é tendência nos grandes centros?

O apartamento compacto é uma tendência muito bem-sucedida que veio para preencher uma lacuna no mercado imobiliário de imóveis menores na metragem e nos valores de comercialização, sem deixar de oferecer a qualidade e o conforto que um lar merece.

Essa exigência foi atendida com a chegada dos condomínios-clubes, que oferecem infraestrutura de lazer e praticidade, fazendo com que o compacto não perca em uma disputa entre casa e apartamento antigo.

Algumas características fazem do apartamento compacto um excelente investimento.

O conceito de morar bem mudou muito nos últimos tempos. Antes quanto maior fosse o imóvel, maior seria o conforto de se viver ali. Hoje em dia, há outros modelos de moradias que atendem muito bem esse objetivo.

Com plantas funcionais, pensadas e desenvolvidas para atender com eficiência às necessidades dos mais diferentes perfis, um apartamento com metragens menores é um deles.

E, quando instalado em um condomínio-clube, uma outra grande tendência do mercado imobiliário se posiciona entre as mais assertivas opções de investimento da atualidade.

Em meio aos inúmeros benefícios oferecidos pelos imóveis compactos, estão:

1. O preço reduzido.

Teoricamente, quanto menor o imóvel, mais em conta ele fica. Mesmo que este apartamento esteja em um condomínio-clube com ampla infraestrutura de lazer. A proposta dos compactos é justamente oferecer tudo o que é necessário a valores mais acessíveis.

2. Melhor localização.

Os apartamentos com plantas menores são, relativamente, novos no mercado imobiliário. Por isso, tendem a estar mais bem localizados, algo que o público entusiasta desse modelo de moradia não abre mão.

Geralmente instalados em condomínios modernos, a boa localização é um diferencial ainda mais vantajoso, mantendo o fácil acesso a atividades de esporte, ao lazer e também às rotinas, como ir ao supermercado, à farmácia, etc.

3. Mais praticidade.

Com o tempo cada vez mais escasso, levar uma vida mais prática é tendência também. A praticidade é uma das fortes características dos apartamentos menores.

Suas plantas já são pensadas para tornar a rotina do lar mais dinâmica. Os espaços são úteis e na medida certa para manter a organização e a limpeza.

4. Modernidade.

Por serem imóveis mais novos, tendem a ser mais modernos. Logo, possíveis problemas com a manutenção do imóvel e das áreas comuns, quando se trata de apartamentos em residenciais com completa infraestrutura, são raros.

Isso inclui também a segurança do condomínio. Item de fundamental importância no que diz respeito a morar bem. O sistema de monitoramento e vigilância dos condomínios se renovam com frequência e quanto mais novo e atualizado, melhor.

Os condomínios-clube são como o quintal dos sonhos.

Desfrutar de um momento de lazer com a família na piscina, fazendo um churrasco, brincar no parquinho ou no play com as crianças, ver seu filho usar a quadra para praticar esportes, receber os amigos em uma festa na área gourmet e fazer exercícios físicos na academia do prédio, praticamente, sem sair de casa e sem custos extras é o sonho de todo mundo. Sem falar de não fazer bagunça em casa, não é mesmo?

As áreas comuns são como a extensão da casa oferecendo mais conforto e praticidade em ocasiões rotineiras e em momentos especiais como festas e eventos.

Muitos ainda oferecem um coworking (espaço compartilhado de trabalho em um ambiente perfeito para se concentrar e até receber reuniões).

Apartamentos em condomínios-clube têm esse diferencial que pode ser considerado um dos seus maiores atrativos.

Está buscando por um imóvel compacto no tamanho e no preço, com amplo conforto e modernidade? Compartilhe com a gente aqui nos comentários!

Ler mais navigate_next

13 de junho de 2018 | Dicas De Compra

7 vantagens de comprar apartamento na planta.

Comprar um apartamento na planta tem inúmeras vantagens.

1. Apartamento na planta tem o preço mais acessível.  

As questões financeiras e econômicas são sempre as mais relevantes na hora de fazer negócios. E na compra de um imóvel não é diferente.

Um apartamento em construção tem sim o preço mais em conta que o imóvel pronto para morar. E este é, sem dúvidas, a sua maior e melhor vantagem!

Os imóveis valorizam mensalmente e os seus preços são reajustados pelo INCC, o Índice Nacional de Custo da Construção.

Com isso, quanto mais perto da entrega das chaves estiver o imóvel, maior o preço dele.

2. Imóveis recém-lançados têm as melhores condições de pagamento.

Ter mais opções para negociar a forma de pagamento do seu apartamento é uma vantagem e tanto! Imóveis em construção têm essa flexibilidade.

Quesito de suma importância no que diz respeito ao planejamento financeiro, esta é uma questão que varia de construtora para construtora, mas, em geral, todas elas ficam mais receptivas as propostas de forma de pagamento no período de obras.

Assim, o corretor de imóveis – intermediador do negócio – pode fazer uma “jogada de números”, alterando os valores de entrada, mensais e da “Entrega das Chaves”, sem mudar o valor final do imóvel. Apenas adequando as parcelas para viabilizar o negócio.

3. Investimento com retorno garantido.

Quem compra um apartamento ou casa na planta tem retorno financeiro garantido.

Partindo da premissa de que um imóvel valoriza mensalmente pelo INCC e também por uma série de outros fatores como as benfeitorias que são feitas no próprio imóvel, no entorno da localização, no condomínio, o retorno do investimento é frequente.

Isso é uma vantagem para quem quer comprar para morar e também para os investidores, que são os maiores clientes de imóveis na planta, justamente, pelo seu potencial de valorização e retorno financeiro.

4. Instalações mais modernas.

De acordo com o perfil e padrão do imóvel, os apartamentos em construção tendem a ser os mais modernos do mercado.

Tudo se renova o tempo inteiro, inclusive no mercado de construção e decoração. Os imóveis na planta seguem evoluindo na obra e acompanhando tendências em materiais que garantam conforto e segurança com melhor custo-benefício.

5. Maior possibilidade de personalização.

Ter um apartamento do jeitinho que você sonhou! Essa é também uma das grandes vantagens do imóvel na planta.

Construir ou derrubar paredes, mexer na parte elétrica, colocar gesso e tudo mais que você quiser fazer antes de mudar, com calma e planejamento.

Dependendo do estágio da obra e da construtora, ainda é possível alterar a planta, sem custos para o comprador.

6. Documentação descomplicada.

Toda parte documental de comprar um apartamento ainda em construção é mais simples. O fato de ser o primeiro dono ajuda muito nesse sentido. Um imóvel sem histórico, fica menos burocrático ter todos os documentos em ordem. Por isso, é recomendado se atentar à idoneidade da construtora e às demais empresas responsáveis no processo. Pesquisar as obras já entregues e ler com muita atenção o contrato.

7. Prazo para se organizar com a mudança.

Comprar um imóvel que será entregue dentro de alguns meses ou anos permite que todos os passos até o grande dia da entrega das chaves sejam planejados e organizados com tempo e o cuidado exigido para o mínimo de transtorno.

Mesmo quem nunca vivenciou uma mudança de endereço sabe o quão trabalhoso pode ser.

Se você ainda tem dúvidas entre investir em um imóvel pronto para morar e na planta, teremos prazer em responder! Compartilhe com a gente aqui nos comentários.

Ler mais navigate_next

4 de junho de 2018 | Documentação

Financiamento da Caixa: dicas para ser aprovado com mais facilidade

O financiamento da Caixa tem ajudado milhares de pessoas a se livrarem do aluguel.

Quem se enquadra nos critérios do Programa Minha Casa Minha Vida conta com ainda mais facilidades, como juros mais baixos e subsídios.

A parte chata do negócio é que nem todo mundo é aprovado, o que acaba deixando o sonho um pouco mais distante.

A boa notícia é que, com alguns cuidados e ações pontuais, é possível não só aumentar as chances de aprovação, mas ainda tornar o processo mais ágil. Veja como e mãos à obra!

Dicas para agilizar a aprovação no financiamento da Caixa

A Caixa é responsável por 70% dos financiamentos imobiliários no país. E não é à toa: as taxas de juros são menores e é ela quem financia o Programa Minha Casa Minha Vida.

Mas assim como em todo banco, o financiamento da Caixa também tem suas regras próprias. Para pegar as chaves do seu novo lar, o ideal é que você conheça muito bem todas as exigências.

Por isso, além destas dicas, procure conversar com um gerente. Como cada caso tem suas particularidades, sabendo as suas ele pode dar informações mais específicas.

De qualquer forma, vale ficar atento às atitudes mais comuns que beneficiam a liberação do financiamento da Caixa.

Mantenha seu nome limpo

Em tempos de economia instável, às vezes, acontece algum problema e lá vai o nome para os órgãos de proteção ao crédito. Se você não sabe a situação do seu CPF, faça uma pesquisa para ver se tem alguma dívida em aberto.

O financiamento da Caixa não é liberado para quem tem o chamado “nome sujo na praça”. Isso acontece porque, para o banco, quanto mais dívidas você tem, maior o risco de inadimplência.

Então quite qualquer dívida que estiver em aberto antes de pedir o financiamento da Caixa. Se não puder quitar à vista, negocie. O impacto não é tão bom quanto você zerar a dívida, mas não é tão ruim quanto estar devendo.

Tenha uma estimativa real do quanto precisa e pode pagar

Quanto mais realista você for em relação ao quanto precisa pegar de financiamento e o quanto pode pagar, maiores suas chances de aprovação. Para isso, faça uma simulação. A própria Caixa tem simuladores on-line, onde você pode encontrar a configuração perfeita para o seu perfil, estilo de vida e tempo de pagamento.

Por exemplo, se você pedir um período muito curto, as prestações podem ficar muito altas. Se elas ultrapassarem 30% da sua capacidade de pagamento, verificada através dos comprovantes de renda, será mais difícil seu financiamento da Caixa ser aprovado.

Abra uma conta na própria Caixa

Os bancos costumam dar prioridade e condições mais favoráveis a seus correntistas. Então se você pretende comprar imóvel financiado, abra uma conta na Caixa.

Há várias vantagens em ser um cliente da Caixa. De acordo com pesquisa da Konkero, por exemplo, ela tem as menores taxas de serviços para pessoas físicas. E para abrir é muito fácil e desburocratizado. Basta levar CPF, identidade originais e comprovantes de residência e de renda de, no máximo, dois meses atrás.

Deposite lá todo o seu dinheiro, de forma a aumentar seu saldo médio. Além disso, também fica mais fácil comprovar sua movimentação financeira e seu orçamento mensal. Isso conta pontos positivos na aprovação do crédito.

Reúna e confira toda a sua documentação antes de levar

Tire um dia para, com calma, conversar com um dos gerentes sobre o financiamento da Caixa. Faça uma lista de todos os documentos necessários e os reúna com calma. Confira todos eles muito bem antes de fazer o pedido. Aqui você confere a documentação básica para a solicitação de crédito imobiliário na Caixa.

Seguindo nossas dicas, você aumenta as suas chances de aprovação no financiamento da Caixa e ainda agiliza o todo o processo!

Ler mais navigate_next
< 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 >