19 de março de 2018 | Minha Casa Minha Vida

Composição de renda com os familiares facilita a compra da casa própria.

A solução para você conseguir sair do aluguel pode ser a composição de renda.

Em se tratando de financiamento imobiliário, os bancos normalmente aceitam a composição de renda do casal. Os demais tipos de renda combinada: como união estável, noivos, pais e filhos, irmãos, dependem da consulta junto ao banco, pois varia muito a aceitação de uma instituição financeira para outra. Em muitos casos, a aceitação, se ocorrer, virá acompanhada de solicitação de documentação complementar.

Alguns bancos limitam o número de participantes na composição de renda a três pessoas, que podem ser: marido e mulher; parceiros em uma união estável; noivos; união homoafetiva; pais; filhos ou parentes e, em alguns casos, até amigos que comprovem renda e que não tenham restrições financeiras. No caso de um dos candidatos ter problema de restrição cadastral, com certeza o crédito não será aprovado, mesmo para débitos (ou pendências) antigos ou de pequeno valor.

A participação do cônjuge no financiamento é obrigatória, ainda que ele não componha renda, a não ser que estejam casados em regime de separação de bens.

No financiamento imobiliário, a Caixa Econômica Federal costuma permitir composição de renda com qualquer pessoa: familiares, amigos, cônjuges, sem limitação de participantes, desde que não haja restrições cadastrais com os candidatos ao financiamento.

 

Como funciona a renda combinada no Minha Casa Minha Vida?

Para conseguir entrar em uma das faixas contempladas no Programa Minha Casa Minha Vida, é possível juntar a sua renda com mais 2 pessoas da família, em alguns casos, até mesmo amigos. Cada um terá que comprovar a renda e apresentar toda documentação exigida para compra do imóvel em que pretendem morar. É ainda possível usar o FGTS de cada um dos componentes que participarão da composição de renda, facilitando ainda mais a conquista da casa própria. Os benefícios não param por aí. O governo oferece subsídios maiores para compradores que compõem renda, fazendo com que a entrada diminua e, consequentemente, o saldo total do financiamento.

É considerado a renda familiar mensal bruta, ou seja, a soma da renda bruta comprovada, formal ou informal, de todas as pessoas de sua família.

Por exemplo: se considerarmos uma mulher que tem emprego com renda bruta de R$ 700 (com carteira assinada). Além disso, ela vende produtos de beleza, com um lucro mensal de R$ 200. E o marido autônomo deposita R$ 1.000,00 por mês na conta-corrente dele. A renda total da família a ser considerada pelo banco na hora do financiamento será o somatório: R$ 700 + R$ 200 + R$ 1.000 = R$ 1.900,00.

A composição de renda no Programa Minha Casa Minha Vida afeta diretamente no valor do subsídio a ser recebido. Essa regra vale quando a renda familiar mensal bruta estiver enquadrada até a faixa 2. Veja as situações possíveis:

Quando se tratar de família unipessoal (composta de uma pessoa sem dependente), o valor do subsídio é de 70% do valor total.

Quando houver mais de um participante no financiamento, o valor do subsídio será de 100%. Quando houver um participante no financiamento, porém, houver comprovação de dependente, o valor do subsídio será de 100%.

É importante lembrar que dependente é quem depende financeiramente (filho, deficiente, idoso), desde que não tenha renda. Se possuir renda, este deverá compor o financiamento.

 

Agora que você já sabe como combinar renda para conseguir comprar a sua casa, baixe o ebook Como comprar seu apartamento através do Minha Casa Minha Vida para ter todas as informações sobre como aproveitar todos os benefícios do programa.

Ler mais navigate_next

19 de março de 2018 | Documentação

Como usar o FGTS para comprar a casa própria.

Você sabe como usar o FGTS na compra da casa própria através do Minha Casa Minha Vida?

É fácil aprender como usar o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) no Minha Casa Minha Vida. Basta observar algumas regras:

Você tem que ser o titular ou coobrigado no financiamento em que pretende utilizar o FGTS. Coobrigado é quem assume também o pagamento junto ao titular do contrato. No caso do Minha Casa Minha Vida, pode ser alguns dos seus familiares (marido, esposa, pais, filhos e parentes).

É necessário ter pelo menos três anos, consecutivos ou não, de trabalho no regime do FGTS, mesmo que em empresas e períodos diferentes.

Não ter imóvel residencial registrado no nome do comprador.

Não possuir financiamento de imóvel ativo no Sistema Financeiro de Habitação (SFH) em qualquer parte do país.

Estar com as prestações do financiamento em dia na data em que pedir para usar o FGTS.

Nos financiamentos imobiliários, como usar o FGTS?

O saldo do seu FGTS pode ser usado na compra da sua casa própria. São três possibilidades de uso que podem ajudar a conquistar o sonho da casa própria.

Você deve estar se perguntando: Como usar o FGTS como parte do pagamento? É possível não só usar para pagar uma parte, como também para o pagamento do valor total, se você deseja comprar ou construir um imóvel residencial.

Tem como usar o FGTS para diminuir a dívida do financiamento?

Sim. O FGTS pode ser utilizado para amortizar ou liquidar o saldo devedor. Pode ser utilizado para pagar uma parte ou o total da dívida.

Também é possível utilizar o FGTS para pagar parte do valor das prestações. Dá para diminuir em até 80% o valor das prestações em até 12 meses consecutivos, desde que o contrato de financiamento tenha sido assinado no âmbito do Sistema Financeiro de Habitação (SFH).

Como usar o FGTS?

Para conseguir usar o saldo da sua conta de FGTS para comprar um imóvel, amortizar o saldo devedor ou ainda diminuir o valor do pagamento de suas prestações, você precisa consultar o saldo do FGTS e verificar junto à Caixa Econômica Federal o valor que poderá ser utilizado na operação de compra, liquidação ou amortização de seu saldo devedor ou, ainda, das parcelas de seu contrato. Depois, basta separar a documentação necessária e entregar em uma agência da Caixa Econômica Federal ou no Correspondente Caixa Aqui. Quando a documentação for aprovada, o seu FGTS poderá ser investido na compra da sua casa própria.

Simule on-line clicando aqui.

A documentação necessária é um documento oficial de identificação; o extrato de conta vinculada ao FGTS; extrato da conta vinculada ao FGTS; Carteira de Trabalho que comprove o tempo de trabalho sob o regime do FGTS; uma declaração do sindicato em caso de trabalhador avulso; DIRPF (Declaração do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física); e em caso de trabalhador casado ou em união estável, apresentar a DIRPF de ambos os companheiros.

Não é possível utilizar o FGTS nas seguintes situações:

Não tem como usar o FGTS para comprar, amortizar ou pagar parcelas de um imóvel comercial. Também não é possível para reformar ou aumentar o imóvel. Para comprar terrenos sem que haja construção ao mesmo tempo, não é possível. Nem para comprar material de construções. Não tem como usar o FGTS para comprar imóveis residenciais para familiares, dependentes ou outras pessoas.

Agora que você aprendeu um pouco das condições de uso do seu FGTS, saiba mais baixando o ebook Como comprar seu apartamento através do Minha Casa Minha Vida para ter todas as informações sobre como participar do programa.

Ler mais navigate_next

19 de março de 2018 | Minha Casa Minha Vida

Compre a casa própria com a ajuda do Minha Casa Minha Vida.

Descubra como as faixas 1; 1,5; 2 e 3 dão benefícios para você comprar a casa própria com a ajuda do Minha Casa Minha Vida.

Para entender como funciona o Minha Casa Minha Vida, você precisa conhecer as regras e elas incluem o subsídio imobiliário. Você sabe o que o subsídio imobiliário significa? Um empurrãozinho e tanto na hora de comprar a casa própria com a ajuda do Minha Casa Minha Vida.

O subsídio nada mais é do que uma ajuda do governo para as famílias conseguirem pagar seu imóvel ao banco. Mas ele não pode ser utilizado para o valor de entrada, ele é debitado do valor total do imóvel e vai ajudar a baratear suas prestações.

Valores máximos do subsídio para cada faixa de renda do Minha Casa Minha Vida:

Faixa 1 – 86,4 mil

Faixa 1,5 – 45 mil

Faixa 2 – 27,5 mil

Faixa 3 – sem subsídio

A Caixa Econômica Federal é o banco que organiza o Minha Casa Minha Vida, mas não é o único banco envolvido no programa. Embora a Caixa seja responsável pelos financiamentos da faixa 1, as outras faixas também podem utilizar o Banco do Brasil para realizar o financiamento e não adiar o sonho de comprar a casa própria com a ajuda do Minha Casa Minha Vida.

Afinal o que são as faixas de renda do Minha Casa Minha Vida? Como elas podem ajudar a comprar a casa própria?

Se você tem renda familiar mensal de até R$ 7.000,00, pode participar do Minha Casa Minha Vida. As condições de compra do seu imóvel variam de acordo com a sua faixa de renda familiar. É importante entender em qual das faixas você estará inserido, para saber dos benefícios e ter todas as informações para participar do programa e comprar a casa própria com a ajuda do Minha Casa Minha Vida.

  • Faixa 1 – Famílias com renda de até R$ 1.800,00

A faixa 1 do Minha Casa Minha Vida é a que oferece o menor juros, podendo chegar a zero e os maiores subsídios do governo, que chegam a 86,4 mil reais. O financiamento poderá ser dividido em até 120 meses, com prestações mensais que variam de R$ 80,00 a R$ 270,00, conforme a renda bruta familiar. Importante saber que a garantia do financiamento é o próprio imóvel adquirido. A faixa 1 inclui imóveis de até R$ 98.000,00.

  • Faixa 1,5 – Famílias com renda de até R$ 2.600,00

Esta faixa intermediária do Minha Casa Minha Vida foi desenvolvida para aquelas famílias que têm renda mensal maior do que R$ 1.800,00, mas menor do que R$ 2.600,00. Ela tem taxas de juros de apenas 5% ao ano e até 360 meses (30 anos) para pagar. Os subsídios são de até 45 mil reais. Uma boa forma de comprar a casa própria com a ajuda do Minha Casa Minha Vida. A faixa 1,5 inclui imóveis de até R$ 135.000,00.

 

Faixas 2 e 3

As pessoas que querem comprar um imóvel em até 360 meses podem utilizar essas faixas. Além disso, as faixas do Minha Casa Minha Vida incluem imóveis novos ou na planta, terreno ou construção de casa.

  • Faixa 2 – Famílias com renda de até R$ 4.000,00

A faixa 2 do Minha Casa Minha Vida contempla famílias com renda bruta de até R$ 4.000,00 e pode dar subsídios de até R$ 27.500,00 e juros que variam de 5,5% a 7%. A faixa 2 inclui imóveis de até R$ 225.000,00.

  • Faixa 3 – Famílias com renda de até R$ 7.000,00

A faixa 3 do Minha Casa Minha Vida oferece taxas de juros menores do que as do mercado para famílias com renda de até R$ 7.000,00, e não inclui subsídio do governo, mas os juros, muitas vezes, faz com que seja possível comprar a casa própria com a ajuda do Minha Casa Minha Vida já que são menores que os praticados pelo mercado: em torno de 8,16%. A faixa 3 inclui imóveis de até R$ 225.000,00.

Agora que você já entendeu em qual das faixas você estará inserido, clique aqui para fazer a sua simulação. Baixe o ebook (link) Como comprar seu apartamento através do Minha Casa Minha Vida e tenha todas as informações para participar do programa.

Ler mais navigate_next

15 de março de 2018 | Minha Casa Minha Vida

Use o Minha Casa Minha Vida para comprar o primeiro apartamento.

Com os benefícios do minha casa minha vida é possível ter ajuda concreta para comprar o primeiro apartamento.

O Minha Casa Minha Vida é um programa de habitação que auxilia, através de juros menores e ajuda financeira (chamada subsídios), a aquisição da casa própria. Esse programa é de grande ajuda para comprar o primeiro apartamento. É uma iniciativa do Governo Federal para famílias de baixa renda. Oferece condições atrativas para o financiamento de moradias nas áreas urbanas e rurais. Já entregou mais de 1 milhão de moradias.

É possível comprar o primeiro apartamento através do Minha Casa Minha Vida?
A resposta é sim. Conheça mais sobre o programa de habitação do Governo Federal que te ajuda a conquistar o sonho da casa própria:

O Minha Casa Minha Vida oferece condições de pagamento facilitado e taxas de juros abaixo das praticadas no mercado, de acordo com a renda da sua família. Assim fica mais fácil comprar o primeiro apartamento. Através do programa, você pode financiar a compra do seu imóvel novo em área urbana ou ainda a construção e reforma de moradias em área urbana ou rural.

Para participar do programa, é preciso verificar no site da Caixa Econômica Federal em qual faixa de renda a sua família se encontra. Faça a simulação e saiba mais.

Link aqui

Se sua família tem renda mensal menor que R$ 1.800,00, é necessário se inscrever para iniciar o processo de seleção. Essa inscrição pode ser feita na prefeitura ou em uma entidade que organiza o Minha Casa Minha Vida na sua cidade.

Se você possui renda familiar ou combinada acima dos R$ 1.800,00 até R$ 7.000,00, fica a seu critério escolher se contrata através de uma entidade organizadora ou de forma individual para conseguir comprar o primeiro apartamento. É preciso fazer a simulação para saber quanto você pode investir para então entregar a documentação numa agência da Caixa Econômica Federal (ou em um Correspondente Caixa Aqui).

Depois de inscrito, a Caixa vai avaliar o seu cadastro. As famílias selecionadas no Programa Minha Casa Minha Vida pelas prefeituras e validadas pela Caixa, serão comunicadas sobre a data do sorteio das unidades e da assinatura do contrato de compra e venda do imóvel.

No caso de um atendimento direto na agência, após receber e analisar a sua documentação e a documentação do imóvel que você quer comprar, a Caixa Econômica Federal vai mostrar para você as melhores condições para o financiamento, de acordo com sua faixa de renda no Minha Casa Minha Vida.

Para conseguir participar do Programa Minha Casa Minha Vida, é necessário estar dentro de algumas condições:
A prestação não pode ser maior que 30% da sua renda familiar mensal; Sua renda familiar bruta deve ser de até R$ 7.000,00​ por mês; O imóvel deve ser utilizado para sua moradia.

Uma das grandes vantagens do Programa Minha Casa Minha Vida para comprar o primeiro apartamento é a possibilidade de somar a sua renda com a de seus familiares (marido, esposa, pais, filhos e parentes).

A documentação exigida é o documento oficial de identificação do comprador (ou dos compradores) e comprovante de renda dos envolvidos.

Outra vantagem do Programa Minha Casa Minha Vida é possuir atendimento especializado em locais específicos, de acordo com cada tipo de financiamento. E uma vez com o imóvel, você passa a contar com um canal exclusivo para esclarecer dúvidas e registrar eventuais problemas em sua casa. O Programa De Olho na Qualidade ajuda você a cuidar do seu patrimônio.

Em parceria com estados, municípios, empresas e entidades sem fins lucrativos, o Programa Minha Casa Minha Vida vem mudando a vida de milhares de famílias brasileiras. Dando oportunidade de muita gente comprar o primeiro apartamento. Facilita a compra da casa própria para quem precisa, além de gerar mais desenvolvimento para o Brasil.

Para saber sobre Faixas de Renda do Programa Minha Casa Minha Vida, uso do FGTS na compra e composição de renda, baixe o ebook. Como comprar seu apartamento através do Minha Casa Minha Vida para ter todas as informações relevantes do programa.

Ler mais navigate_next
< 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13